quinta-feira, 18 de agosto de 2016

O Dia Que Eu Conheci o Buddy Valastro - O Cake Boss!!!

Estava eu, na madrugada do dia 15-para-16/08/2016, vendo televisão com minha família quando, de repente, eu vi o anúncio e, simplesmente, fiquei louca! O meu maior ídolo - ganhando até de Pitty e Red Hot Chili Peppers - viria para o Rio de Janeiro no dia seguinte (porque, né, só é "dia seguinte" quando a gente dorme) e, mais precisamente, ha 15 minutos de carro da minha casa. Comecei a chorar, pedi muito para minha mãe ir comigo porque eu não ia aguentar essa emoção sozinha. Eu só dizia "VAMOS, VAMOS, VAMOS!!!" Já está rindo, né?! Senta que lá vem história.

Fiquei uma pilha de nervos e quando ia sair de casa, o pessoal do Ipiranga avisou que ele já estava no local! MÃÃÃÃÃE!!! EU VOU CONHECER  O BUDDY!! Fomos até lá e eu não sabia o que esperar! Não sabia se iria estar cheio/vazio, se o Buddy iria tirar foto conosco, mas sabia que era para esperar algo grandioso. Chegando lá - por volta de 11:30h -, uma moça nos informou que só quem poderia entrar era quem tinha credencial e tínhamos que esperar até 13:30/14:00h que o Buddy Valastro iria nos atender. Ok, fomos para a fila.

A fila estava pequena, tinham cerca de 10 pessoas e esperar não seria problema. Marina, apenas um vidro te separa do Buddy! Sábias palavras de minha mãezinha. Vamos ficar logo na fila porque, se ele puder, vai atender a gente quando tiver tempo livre. Ah, mãe... Já disse que te amo? <3 Em alguns poucos minutos, o que minha mãe acabara de dizer, havia acontecido. Somente uma PORTA de vidro e um segurança que parecia um armário duplex me separava dele. Ele, o mestre. Ele, o chefe. Ele, o Cake Boss!

Com o coração disparado, entrei. Vamos ser sinceros: eu não sei falar inglês, mas eu TINHA que saber falar com o Buddy Valastro. Ele me recebeu de braços abertos(!), com um sorriso no rosto e nossa conversa foi mais ou menos assim:

Buddy Valastro: Hi!
Eu, Marina Esteves: Hi, Buddy! Sorry, i don't speak english. 
BV: No problems, baby, nice to meet you!

Neste momento eu comecei a chorar! E quanto mais eu chorava, mais ele tentava me acalmar "don't cry, baby, don't cry". Falei que o amava e o trabalho dele ("and I love you too"), que ele era minha inspiração e que aquilo tudo era um sonho! E ele, super simpático, carinhoso e humilde, agradecia a todo o momento. Gente, Buddy é um amor!

Estava com uma caneta na mão e, quando me recuperei, pedi para que ele autografasse minha tatuagem na perna! Ele tirou a caneta da minha mão e quanto ouviu o "in my tattoo" arregalou os olhos e "wow! In your tattoo?"..."Yes, please!!!!!" E lá foi ele.



Sentou no chão, falou algo como "eu nunca fiz isso antes" e falou algo para Marcelo - sócio do Ipíranga e organizador do evento -, que me perguntou na hora "Você vai tatuar isso?" e logo repetiu minha resposta para o Buddy. Foram muitas câmeras focadas em mim naquele momento (me senti um pokemon raro Hahahahah). Eram celulares, pessoas anônimas, minha mãe com um sorriso de orelha a orelha, jornalistas... Todos olhando para mim e para ele.

Tentei parar de chorar e não tremer a perna. Ele foi um cavalheiro. Em momento algum tocou em mim, nem mesmo para se apoiar. Nem olhar para cima ele olhava. Eu estava de vestido. Nesse momento, não resisti e soltei um "Sorry, Lisa!" para se a esposa dele um dia visse esse vídeo! Hehe Alguém entendeu e deu risada. Não sei se foi ele(!).

Por fim, dei mais um abraço e o agradeci pelo que tinha feito. Minha mãe se identificou, foi tirar foto com ele e ele disse para ela "She's wonderfull". OMG!!! BUDDY VALASTRO DISSE QUE SOU MARAVILHOSA!!!!! <3 E ele gostou tanto dessa situação, que até apareci no Instagram dele!

Logo após veio uma moça, pedindo meu nome, se eu poderia dar entrevista. E dei. Inclusive, já foi pro ar na página do Facebook, direto do Instagram do Ipiranga! Também ganhei dois brindes autografados: avental e caneca.

E o que eu quero agora? Somente agradecer à equipe do Ipiranga por realizar meu sonho e me proporcionar um dia TÃO feliz. Obrigada. E com o perdão da palavra, vocês são f*das! <3

Agora vem a segunda parte da história: Eu TINHA que tatuar aquilo e tinha que ser com um dos meus dois tatuadores de confiança. O Nilson Fernandes não trabalha terça feira(!) e o Pet Crazy, estava no hospital com a esposa. E agora??? O que fazer??? Esperar, né! Afinal, eu não poderia tomar banho e nem suar, senão já era o autógrafo. No final do dia, o Pet foi ao estúdio, consegui tatuar e tudo deu certo! <3 Se você está curioso para saber como ficou, aqui está:
Feita por Pet Crazy Tattoo!

4 comentários:

  1. Loucaaaaa! Tô feliz com seu sonho realizado! Sucesso sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A louca é consequencia! haha Obrigada, pela visita, Dani <3

      Excluir
  2. Menina de sorte realizou meu sonho, só em saber que vc deu um abraço nele já foi tudo de preciso para mim. Parabéns Amiga e sucesso.

    ResponderExcluir

Quando a panela de pressão começar a chiar, você já sabe o que fazer. Shhhhhhh